quinta-feira, 20 de agosto de 2009

O Grupo Desportivo de Sesimbra



HISTÓRIA

FUNDAÇÃO:

O Grupo Desportivo de Sesimbra (GDS) foi criado em 10 de Agosto de 1947, resultante da fusão de três clubes de futebol de Sesimbra: União Futebol Sesimbra, Vitória Futebol Clube e Ases Futebol Clube, fundados respectivamente em 27/11/1915, 20/11/1927 e 5/4/1931.

Já então, nalgumas cidades e vilas, se tinham criado diversos clubes resultantes, justamente, da fusão de outros, dado que foram vários os dirigentes e associados que chegaram à conclusão que a forma mais eficiente para o progresso do desporto passaria pela congregação de esforços no sentido de se criarem clubes que pudessem vir a ter maior projecção.

Os sesimbrenses acompanharam essa evolução e, depois de várias e difíceis reuniões preparatórias, os dirigentes e associados mais sensatos conseguiram convencer os mais renitentes e chegaram finalmente à conclusão de que, para Sesimbra alcançar maior projecção ao nível do desporto nacional, só deveria haver um único clube. Esse clube viria a designar-se por Grupo Desportivo de Sesimbra.

Dirigido até 23 de Janeiro de 1948 por uma Comissão Administrativa constituída por: Presidente, Alferes Joaquim Pinto Braz; Vice-Presidente, Francisco Garcia Regêncio; Tesoureiro, Celestino Franco Cheis; Secretário Geral, Mário Augusto Torres Águas; Vogais, João Pereira Ramada Crespo, Cândido das Chagas Farinha, Carlos de Sousa Farinha, Pedro da Silva Filipe, Fernando Reis Marques, Carlos Marinheiro Cândido, Rogério Cardim Carvalho e Policarpo Gomes Severo e, em Assembleia Geral, presidida por António de Sousa Carvalho e realizada no antigo cinema de João Baptista Mota, homem sempre pronto a auxiliar todas as iniciativas, clubes e Instituições de Sesimbra, foram eleitos os seguintes corpos gerentes:
Assembleia Geral: Presidente, João Pereira Ramada Crespo; Vice-Presidente, Francisco Garcia Regêncio; 1º Secretário, Fernando Reis Marques; 2º Secretário, Celestino Franco Cheis; Suplentes, Adelino Pereira Marques, Carlos Encarnação Estevão Alves.
Direcção: Presidente, Tenente Joaquim Pinto Braz; Vice-Presidente, Mário Augusto Torres Águas; Tesoureiro, Cândido das Chagas Farinha; 1º Secretário, Carlos Sousa Farinha; 2º Secretário, Pedro da Silva Filipe; Vogais, Carlos Marinheiro Cândido, Policarpo Gomes Severo; Suplentes, José da Cruz Fernandes Pinto, Manuel Gomes Marcelino e Emílio Pinto Embaixador.
Conselho Fiscal: Presidente, Mário Neves Varandas; Secretário, António Carlos Abreu; Relator, Cristino Cagica Pinto; Suplentes, Geremias Pinto e Manuel Zegre Neto.

Não foi tarefa fácil para os dirigentes, até porque o que se pretendia então, não era criar uma equipa de futebol mais forte, mas sim fomentar na juventude o gosto e interesse pela prática de todos os desportos e sobretudo a criação de escolas de ginástica para ambos os sexos e idades, visto que em Sesimbra nem sequer nas escolas oficiais a mesma se ministrava.

Não obstante, o clube ascendeu à 2ª Divisão Nacional, em 21 de Junho de 1967, na modalidade de Futebol (seniores), tendo anteriormente conquistado a Taça “Mundo Desportivo” em 1947-48 e o título de Campeão Distrital de Setúbal em 1949-50, 1950-51, 1952-53 e 1966-67, entre outros.

O GÍMNO-DESPORTIVO DE SESIMBRA

Naquela época já se verificava, até nos antigos clubes de Sesimbra, o gosto pela prática do Voleibol, Basquetebol, Hóquei em Patins, Atletismo, Ciclismo, etc., mas as condições de trabalho eram precárias, o que levou o GDS a encarar de frente o preenchimento de tal lacuna.

Criou-se uma modestíssima classe de ginástica que funcionava numa sala cedida pela Santa Casa da Misericórdia e os sócios Adelino José de Carvalho e José Franco Cheis, construíram um pequeno “Rink” (assim eram designados os espaços destinados à prática de modalidades sobre patins) de Patinagem, inaugurado por Edithe Cruz em Patinagem Artística e um jogo de Hóquei em Patins entre as equipas da Associação Académica da Amadora e do Ateneu Comercial de Lisboa.

Começa, nesta altura, a fervilhar a ideia de que só construindo um Pavilhão Gimno-Desportivo com instalações adequadas para a prática desportiva em recinto coberto e funcionamento de escolas de Educação Física e que simultaneamente dispusesse de instalações para os associados, seria possível que o jovem GDS cumprisse o verdadeiro objectivo que levara à sua criação.

O GDS não podia, nem conseguia ser excepção, até porque, sem a construção do seu Gimno-Desportivo, aspiração de todos os sesimbrenses quase desde a sua fundação, a sua sobrevivência perigava, como perigou, quando as suas equipas de futebol mais representativas não conseguiam as classificações ambicionadas.

Deste modo, só em 22 de Abril de 1977, é oficialmente inaugurado o Pavilhão Gimno-Desportivo com as honrosas presenças do Ministro de Estado, Prof. Henrique de Barros; da Educação, Dr. Souto Mayor Cardia; da Administração Interna, Tenente-Coronel Costa Braz; da Habitação e Urbanismo, Eng.º Eduardo Ribeiro Pereira; Secretário de Estado da Juventude e Desportos, Prof. Joaquim de Sousa; Governador Civil de Setúbal; Director da Urbanização de Setúbal, Eng.º Barbosa de Matos; Presidente da Câmara Municipal de Sesimbra, Ezequiel Lino; Comité Olímpico Português; Ginásio Clube Português, Emílio Santos Lapa, além de inúmeras representações de grandes e pequenos clubes, entidades federativas e das várias modalidades desportivas.

A efeméride foi assinalada com um grandioso Sarau de Ginástica que contou com a exibição de algumas centenas de ginastas das classes mais representativas do Ginásio Clube Português e, em 4 de Junho de 1977, ainda dentro das manifestações de todas as modalidades desportivas que ficaram a marcar a inauguração, o Instituto dos Pupilos do Exército ofereceu também à população de Sesimbra um magnífico Sarau recheado de óptimos ginastas.

Muitos foram os sesimbrenses, desde particulares a empresários, passando pelos pescadores e entidades oficiais que, de uma maneira ou de outra, contribuiram para a construção daquela infraestrutura e que hoje merecem o agradecimento e reconhecimeto de todos quantos beneficiam directa e indirectamente da sua existência.

AS ÚLTIMAS DÉCADAS

Com a evolução dos anos o Grupo Desportivo de Sesimbra foi-se assumindo como o verdadeiro embaixador desportivo do Concelho, congregando várias centenas de atletas, ao serviço de várias modalidades, que transmitiram ao mundo a sua verdadeira dimensão.

Enquanto que o Futebol continuou a ser a modalidade principal do Clube surgiram, entretanto, novas modalidades e com elas novos êxitos desportivos, assumindo-se o Hóquei em Patins como um grande pólo de dinamização de jovens e de divulgação para Sesimbra.

A conquista do Título Nacional da 2ª Divisão, a vitória na Taça C.E.R.S. (semelhante à Taça U.E.F.A.), em 1981, para além de diversas participações em Taças Europeias, marcaram o percurso de uma modalidade muito acarinhada pelos sesimbrenses.
Ao longo do tempo esta modalidae tem conquistado muitos títulos, desde os jovens até aos seniores, realçando-se inúmeros títulos Regionais, Distritais e Nacionais, não esquecendo o habitual “Torneio Praias de Sesimbra” que, em 2003, atingiu a sua 18ª edição.

Actualmente, a estrutura do Hóquei em Patins é composta por uma Escola de Patinagem e tem em actividade todos os escalões da modalidade, incluindo uma equipa na categoria de seniores femininos.

A Ginástica também tem dado os seus frutos, principalmente os Trampolins, que ao longo dos anos têm prestigiado o Clube, com diversos títulos Regionais e Nacionais, para além de uma atleta – Lurdes Sousa – Vice Campeã da Europa em Trampolins. No total, foram várias centenas de ginastas que, durante os anos 80 e 90, representaram o G.D.S. de forma digna e honrosa.

Outras modalidades como o Andebol, a Patinagem Artística, o Basquetebol e o Halterofilismo, também marcaram o seu percurso ao longo dos 56 anos de vida do G.D.S..

O Judo nasce no Sesimbra para trilhar um caminho bonito e decisivo na formação de atletas, contando no seu historial com dois Campeões Nacionais, Sérgio Pereira e Joana Pereira (esta última em 2003). Tendo obtido inúmeros êxitos merecedores de destaque, o Judo tem reflectido o trabalho e a dedicação dos seus responsáveis angariando cada vez mais atletas.

O Voleibol, outra modalidade importante na vida do Clube e que tem conseguido atingir, ao longo destes últimos anos, um nível invejável no âmbito da formação, onde jovens licenciados e treinadores têm colocado em prática um plano de trabalho de qualidade.

Com grande prestígio já granjeado esta modalidade, que movimenta centenas de atletas, tem no projecto Gira-Volei, outra face do seu trabalho envolvendo o Clube, a Federação Portuguesa de Voleibol, a Autarquia e as Escolas.

Numa época em que mais uma página da nossa história acaba de ser escrita, é com satisfação que recordamos o trabalho desenvolvido pelos escalões de formação do nosso Futebol, o qual tem primado pelo rigor e pela qualidade, contribuindo de forma decisiva para os últimos sucessos alcançados.

Ao longo dos últimos anos, as sucessivas vitórias históricas do Futebol Juvenil, em diversas categorias, a manutenção dos Seniores nos Nacionais, a actividade da nossa “Escola de Futebol Valdemar Laranjeiro dos Santos” e os vários contributos prestados ao Futebol Distrital e Nacional traduzem o empenho de centenas de dirigentes, técnicos, atletas, funcionários e associados que, de alma e coração, se dedicam ao seu Clube.

O aumento do património e a consolidação de inúmeros projectos constituem reais motivos de orgulho e revelam-nos como, ao longo do caminho percorrido, todos os dirigentes têm sabido dignificar e honrar o G.D.S..

Porque um grande Clube se ergue em muitas vertentes, a construção da “Piscina e Sala de Desporto”, fará parte importante de um complemento decisivo para a continuação da prestigiosa história do nosso Sesimbra.

Fonte: GDS





Sem comentários: