sábado, 22 de agosto de 2009

Trepa no Coqueiro, Escola de Samba



G.R.E.S Trepa no Coqueiro
Uma história de Sucesso

O G.R.E.S Trepa no Coqueiro foi fundado a 2 de Maio de 1978 por António Paixão, o principal elemento dos Fundadores: Isabel Luz, Rosa Andrade, Fernanda Picão, Fernanda do Carmo, Manuela, Angelina Aguiar, Helena Homem, Eduardo Cunha, Jacinto Jorge, José Carlos Freitas, Victor Leonel, Fernando Sabino.

Com fantasias confeccionadas gratuitamente por algumas Mães de desfilantes, assim como alguns dos instrumentos de percussão construídos por elementos da escola, António Paixão funcionário do Hotel do Mar, conta então com o apoio do seu Director-Geral Óscar da Silva, que disponibiliza as instalações do Hotel para as primeiras reuniões e ensaios. Este local foi o ponto de partida para o primeiro Desfile de Carnaval da Escola em 1979, com a participação de 30 elementos.

“Mariposa” e “Trepa no Coqueiro” foram os nomes propostos, mas “Trepa no Coqueiro” seria o escolhido. O Estandarte original, ainda hoje conservado na nossa sede social, tinha sob um fundo branco, uma paisagem de uma baía, simbolizando a Vila de Sesimbra, centrada por 3 coqueiros e ladeada por duas Máscaras que representavam o Carnaval da Vila.

No ano de 1985 o Trepa no Coqueiro inova ao tocar e cantar ao vivo no desfile do Carnaval de Sesimbra, o primeiro samba-de-enredo original “Universo Imaginário”, que se torna um verdadeiro hino da Escola. Reinaldo Nunes é o grande impulsionador do se que irá tornar no futuro um pouco por todo o país, a grande motivação do fenómeno Escola de Samba, o samba-de-enredo.

A primeira sede situava-se no armazém de pesca “Armação da Varanda”. Outras sedes de escolas de samba estavam espalhadas pela vila de Sesimbra, mas em 1987 foi cedida pela Câmara Municipal de Sesimbra a actual sede no Largo 2 de Abril em Sesimbra.

Em 1988 a Escola desfila com o novo Estandarte e uma nova imagem, conservando o mesmo símbolo até hoje, cria as suas duas cores oficiais: o VERDE e o AMARELO e adopta as iniciais GRES. È o principio do caminho para a legalização da primeira Escola de Samba em Portugal.

Em 1989, o GRES Trepa no Coqueiro promove o movimento Plataforma, que pretendia a união de todas as Escolas de Samba de Sesimbra, para juntas se tornarem mais independentes e autónomas, o desfile sofreu uma nova dinâmica, a experiência resultou mas... não continuou por falta de concordância das restantes Escolas.

Em 1990, os 250 elementos defenderam o enredo “Ora Toma” do GRES Trepa no Coqueiro. A Escola de Samba saltou para as primeiras páginas de todos os jornais nacionais era manchete em revistas, notícia em rádio e televisão e toda esta promoção foi determinante para que o trabalho do Trepa tivesse o reconhecimento merecido das entidades locais. Em 1990 tornou-se a escola de Samba mais requisitada do País.

Em 1991 acontece o sonho tão esperado, a legalização.

O enredo “Tá-se nas Tintas” mostrava o estado de degradação do Património Histórico Arquitectónico Nacional. Foi o enredo da mudança no rumo da Escola de Samba Trepa no Coqueiro, a inovação musical com a apresentação de um samba de inspiração afro e a sua legalização como Grupo Recreativo Escola de Samba traz um novo sentido ao fenómeno escola de samba. O samba axé com a sua marcante letra, ainda hoje é cantado por todas as escolas de samba de Sesimbra e é mais um hino do GRES Trepa no Coqueiro. O Carnaval desse ano teve para o Trepa no Coqueiro um sabor amargo e ainda hoje recorda essa terça-feira de Carnaval.

Uma década passou marcada por grandes enredos e por grandes desfiles, “ O Grito da Amazónia”, “ A Guerra”, “Criança A Única Esperança” foi maravilhoso! Cor, alegria e uma animação nunca vistas na Escola de Samba que continua a mexer com Portugal e cada vez mais sintonizada com Sesimbra. Neste ano um Pégaso imaginário e um Rei Leão altivo saem para a rua deixando o público extasiado perante a divina mão de Mário João Sargedas, que ficará para sempre nos corações de todos nós.

A história do Trepa no Coqueiro fica mais uma vez gravada no asfalto da Avenida da Liberdade.

Em 2003, cada vez mais “Juntos e Unidos” os cerca de 200 elementos do GRES Trepa no Coqueiro festejam um quarto de século, a força do Trepa no Coqueiro comemora 25 anos de vida numa festa que Sesimbra nunca havia visto. A partir deste ano o lema da escola começa a fazer cada vez mais a fazer sentido…

”Juntos e Unidos Somos A Força Do Trepa No Coqueiro”

Fonte: Trepa no Coqueiro

Sem comentários: